coronavirus(covid-19)

Prefeitura de Naviraí continua na guerra contra o mosquito da dengue

  • Assessoria de Imprensa
  • 10 de março de 2020
  • Gerência de Saúde

O município de Naviraí enfrenta um problema muito sério que é a infestação do mosquito da dengue. Não é só Naviraí, mas também em todos os municípios do Estado e até mesmo em todo o Brasil. Em Naviraí, segundo José Pereira, coordenador dos agentes de vetores da gerência de Saúde, “aqui no estado existe uma epidemia, mas em relação a anos anteriores tem mostrado um grande número de notificações a cada dia. Hoje já temos 1.300 casos notificados com pessoas com suspeita de dengue e temos 290 casos já confirmados”, explicou ele.

A preocupação de José Pereira é a mesma do prefeito Dr. Izauri Macedo que pediu todo o esforço da equipe de saúde para tentar amenizar a situação existente em Naviraí. “Estamos cientes de que vai aumentar o número de casos de pessoas com notificações e, em consequência com a dengue, mas pedimos aos agentes de endemias e aos demais colaboradores da saúde que nos ajudem a trabalhar firmes no combate a proliferação do mosquito transmissor, mas a consciência da população é primordial nessa guerra”, ressaltou o prefeito.

José Pereira afirmou que os agentes de endemias e os agentes comunitários de saúde estão desenvolvendo um grande trabalho de conscientização junto aos moradores. “Neste momento precisamos de todo o apoio e envolvimento de toda a comunidade”, explicou ele. José Pereira acrescentou que quando olha o mapa da cidade, vê que ele está tomado de notificações. “Então isso não é um problema do trabalho dos agentes de saúde. Se não houver o engajamento forte dos moradores nós vamos ter ainda muitos problemas com o mosquito transmissor da dengue”, afirmou ele.

SOL NASCENTE E PORTAL RESIDENCE

Para o coordenador de vetores da saúde pública municipal, José Pereira, a região do bairro Sol Nascente e do Portal são as que tem surgido mais focos nos últimos tempos. “Todas as vezes detectamos ali que aqueles dois bairros se destacam. Uma das questões que nós no trabalho de controle temos identificado são as fossas que estão ali, são criadouros permanentes e estão na maioria das vezes desprotegidas. Então, mesmo o morador tendo o seu quintal limpo, livre de objetos acumulando água, ele tem lá uma fossa que é um foco permanente do mosquito da dengue. Então nós estamos solicitando para todos os moradores, que tenham o cuidado de fazer a proteção dos suspiros de sua fossa”, salientou José Pereira.

Ao sugerir a colocação de uma meia no suspiro de cada fossa, José Pereira explicou que “ela permite a saída do gás da fossa não permite a saída do mosquito transmissor da dengue. Você coloca a meia ali, prende com uma borracha e pronto, não escapa o mosquito. Você resolveu o problema, já que o mosquito não entra e nem sai daquele local. Essa é uma simples recomendação que fazemos. O morador na maioria das vezes, cuida do quintal e se esquece da fossa”, enfatizou ele.

PASSANDO FUMACÊ

Comentando sobre o fumacê e porque foi parado de fazer o seu uso em Naviraí, José Pereira explicou que “essa situação do fumacê é no Estado inteiro, aliás, é no Brasil inteiro, porque o Ministério da Saúde havia suspendido o fornecimento desse produto para a utilização no combate ao mosquito transmissor da dengue. Agora eles começaram a fornecer aos municípios. Nós, por exemplo, recebemos uma pequena quantidade e vamos de imediato começar esse trabalho na cidade”, disse ele.

Ao encerrar seus comentários sobre o combate à dengue em Naviraí, o coordenador do Núcleo de Vetores da gerência Municipal de Saúde, José Pereira, disse que “todos os moradores precisam se dar as mãos porque nós estamos, realmente, numa guerra contra o mosquito da dengue em nossa cidade”, concluiu ele.